TRADUTOR

terça-feira, 31 de maio de 2022

MÊS DE MAIO, MÊS DE MARIA

UMA NOSSA SENHORA PARA CADA DIA

NOSSA SENHORA DA VISITAÇÃO
Origem
A devoção a Nossa Senhora da Visitação originou-se entre os primeiros franciscanos. Trata-se de uma devoção totalmente inspirada no Novo Testamento, mais precisamente no Evangelho de São Lucas 1,39-56. Quando o Anjo Gabriel anunciou a Maria que ela seria a Mãe do Salvador, ele disse que Isabel, prima de Maria, já idosa, estava no sexto mês de gravidez por um milagre de Deus. Por isso, Maria foi às pressas até a região montanhosa da Judéia, à cidade de Aim Krim, para visitar Isabel. Daí o nome de NOSSA SENHORA DA VISITAÇÃO.

O encontro de duas santas.
Quando Maria chegou e saudou Isabel, João Batista, a criança no ventre de Isabel, estremeceu no seu seio e Isabel ficou cheia do Espírito Santo. (Lc 1, 39-41) Sim. Foi um encontro especial. Maria levava Jesus em seu ventre. Isabel, carregava João Batista. Os dois primos também se encontraram neste momento e o Espírito Santo se fez presente. As palavras que Isabel disse a Maria neste momento, como frisa são Lucas, foram inspiradas pelo Espírito Santo. Por isso, elas se tornaram uma frase da oração rezada milhões de vezes por milhões de pessoas todos os dias: a Ave Maria.

Uma frase da Ave Maria
São Lucas escreve: “Ora, apenas Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança estremeceu no seu seio; Isabel ficou cheia do Espírito Santo e exclamou em alta voz: Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre.” (Lc 1, 41-42) Essas palavras de Santa Isabel, inspiradas pelo Espírito Santo, passaram a fazer parte da oração da Ave Maria. É exatamente isso que dizemos quando rezamos: “Bendita sois vós entre as mulheres e bendito é o fruto do vosso ventre, Jesus.”

Visitação
Maria visita Isabel primeiramente porque crê nas palavras do Anjo Gabriel. Este, como vimos, afirmou que Isabel estava no sexto mês de gravidez. Em segundo lugar, esta visita, sem dúvida, é uma visita de serviço, de amor, de partilha. Maria precisava partilhar com alguém a maravilha que estava acontecendo em seu ventre: Jesus, o Filho de Deus estava sendo gerado. Mas, com quem partilhar algo tão grande? José, o noivo, ainda não o sabia. E, se não fosse por intervenção divina, não compreenderia. Isabel, porém, compreenderia, porque estava vivendo também um milagre: uma gravidez na velhice. Maria, vivia milagre infinitamente maior, mas sentia que Isabel poderia compreender e ajudar. Tanto que Isabel, tocada por Deus, percebe imediatamente a gravidez de Maria e exclama: “Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre.” (Lc 1, 41) Certamente nos três meses que Maria ficou com Isabel, as duas se ajudaram, conversaram muito e falaram com liberdade sobre as coisas de Deus que aconteciam em suas vidas.

O grande Louvor de Maria na Visitação
Foi na Visitação que Maria entoou seu cântico de gratidão e louvor a Deus chamado de Magnificat, do Latim, que significa “glorifica”. Este é o primeiro verbo usado por Maria no Magnificat: “Minha alma glorifica ao Senhor”. A oração do Magnificat é a oração da Visitação de Nossa Senhora. Por isso, reze-a sempre, lembrando da alegria de Maria e de seu gesto de amor ao visitar sua prima, para servir e partilhar a vida.

Magnificat
"E Maria disse: 
Minha alma glorifica ao Senhor,
meu espírito exulta de alegria em Deus, meu Salvador.
Porque olhou para sua pobre serva.
Por isto, desde agora, todas as gerações me proclamarão bem-aventurada.
Porque realizou em mim maravilhas aquele que é poderoso e cujo nome é Santo.
Sua misericórdia se estende, de geração em geração, sobre os que o temem.
Manifestou o poder do seu braço: desconcertou os corações dos soberbos.
Derrubou do trono os poderosos e exaltou os humildes.
Saciou de bens os indigentes e despediu de mãos vazias os ricos.
Acolhei a Israel, seu servo, lembrando da sua misericórdia,
Conforme prometera a nossos pais, em favor de Abraão e sus posteridade, para sempre." 

segunda-feira, 30 de maio de 2022

MÊS DE MAIO, MÊS DE MARIA

UMA NOSSA SENHORA PARA CADA DIA

NOSSA SENHORA DE BELÉM
A origem
Devido o fato de Maria ter honrado a cidade de Belém dando à luz seu filho na cidade, ela recebeu o título de Nossa Senhora de Belém.

Origem da devoção a Nossa Senhora de Belém.
Desde os primórdios do Catolicismo, Nossa Senhora já era invocada em Belém. Depois, foi construída a Basílica da natividade, no ano de 330, onde fica a gruta em que Maria deu à luz Jesus, em Belém. Com isso, começou a ser espalhada a devoção a Nossa Senhora de Belém pelo mundo. No início do século XV a devoção a Nossa Senhora de Belém chegou a Portugal com uma pequena capela que prestava assistência espiritual para os viajantes e marinheiros que paravam nas praias do Restelo, em Lisboa. O rei Dom Henrique transformou a capela em uma igreja e adotou como padroeira Santa Maria de Belém.

A imagem
A imagem que representa Nossa Senhora de Belém foi esculpida em estilo barroco. Nela, Maria segura em seu colo o Menino Jesus. Ela também segura um cajado de peregrina simbolizando que não estava na sua terra natal, mas estava a caminho.

Promessas bíblicas
Deus prometeu a Davi, quase mil anos antes do nascimento de Jesus, por meio do profeta Samuel, que ele (Davi) teria um descendente, que teria um reino sem fim. Passados trezentos anos, o profeta Miqueias profetizou, quando faltavam em torno de 700 anos para o nascimento de Jesus: “E tu, Belém, terra de Judá, não és de modo algum a menor entre as cidades de Judá, porque de ti sairá o chefe que governará Israel, meu povo.” (Miq 5,2) Essa fala mostra que Belém era uma cidade pequena porém muito importante, assim como Maria.

Maria e José moravam em Nazaré. A família de José, porém, era de Belém. Ele era descendente do lendário rei Davi, nascido em Belém. Quando Maria estava com Jesus em seu ventre, faltando poucos dias para dar à luz, o imperador César Augusto ordenou que seus homens fizessem o recenseamento em toda a população sob seu governo. Esse foi o motivo que fez com que a sagrada família viajasse para Belém. Eles viajaram por mais 145 quilômetros, pelo caminho do rio Jordão.

Quando chegaram em Belém, José foi procurar um lugar para se hospedarem. Porém, a pequena cidade estava lotada por causa do recenseamento, e eles só conseguiram hospedagem em um estábulo, que é um tipo de caverna que os animais usavam para dormir. Lá ocorreu o nascimento do Menino Jesus. A manjedoura, que chamamos de cocho (onde os animais se alimentavam), serviu de berço.

Reis devotos
Dom Henrique muito incentivava as navegações portuguesas, e era devoto fervoroso de Nossa Senhora de Belém. Ele dizia: “Assim como a estrela de Belém guiou os Reis Magos até a manjedoura onde se achava o Menino Deus, assim também a Senhora de Belém ajudará a encontrar novas terras e o caminho para as Índias.” Finalmente, no ano de 1497, Dom Manuel realizou uma ampliação na igreja, para que ela fosse o monastério dos irmãos da Ordem de São Jerônimo. Isso porque Dom Manuel ficou extremamente grato com o sucesso da expedição de Vasco da Gama, que tinha passado a noite em oração na Igreja de Santa Maria de Belém antes de partir para o mar. Dom Manuel fui também o responsável pela construção da famosa Torre de Belém em homenagem a Nossa Senhora de Belém. A torre é até hoje um dos cartões postais mais famosos de Portugal.

Devoção no Brasil
A devoção a Nossa Senhora de Belém chegou no Brasil por meio dos portugueses. Antes de começar sua viagem rumo ao Brasil, Pedro Álvares Cabral esteve na igreja de Santa Maria de Belém, onde assistiu a Santa Missa e participou de uma procissão com o rei rumo ao cais, de onde iria zarpar. Na ocasião, havia uma imagem de Nossa Senhora de Belém no navio.

ORAÇÃO A NOSSA SENHORA DE BELÉM
“À Vossa Proteção recorremos, Santa Mãe de Deus, não desprezeis as nossas súplicas, nas nossas necessidades, mas livrai-nos sempre de todos os perigos, ó Virgem gloriosa e bendita, Senhora nossa, Medianeira nossa, Advogada e padroeira nossa.

Lembrai-vos, ó piíssima Nossa Senhora do Belém, que nunca se ouviu dizer que algum daqueles que têm recorrido a vossa proteção, implorando a vossa assistência e reclamando o vosso socorro, fosse por vós desamparado.

Animado eu, pois, com igual confiança, a vós, ó Virgem entre todas singular, como a Mãe recorro, de vós me valho, e , gemendo sob o peso de meus pecados, me prostro aos vossos pés.
Não desprezeis as minhas súplicas, ó Mãe do Verbo de Deus humanado, mas dignai-vos de as ouvir propícia e de me alcançar o que vos rogo pela Vossa Intercessão. Amém.”

domingo, 29 de maio de 2022

MÊS DE MAIO, MÊS DE MARIA

 UMA NOSSA SENHORA PARA CADA DIA

Vamos conhecer a padroeira dos pescadores.

NOSSA SENHORA DA AGONIA.
Origem
A palavra agonia tem sua origem na angustiante luta entre os gladiadores na Roma Antiga. Por isso, a Virgem Maria passou a ser invocada por pescadores de Viana do Castelo em Portugal, como NOSSA SENHORA DA AGONIA. Eles passaram a usar o título "da Agonia" pelo fato de enfrentarem sempre a grande luta contra os perigos do naufrágio. O mar da região era muito bravio e, com a ajuda de tufões, jogava os barcos em direção a uma falésia chamada de "Penedo Ladrão". As famílias dos corajosos pescadores assistiam a tudo do cais, angustiados com a luta que aqueles homens travavam pela vida. Ajoelhadas, elas clamavam fervorosamente por Nossa Senhora da Agonia.

Em Viana do Castelo, Portugal, existe um Santuário que foi construído para veneração a Nossa Senhora da Agonia. Foi construído em 1700 e, desde então, começaram inúmeras peregrinações levando multidões rumo ao santuário.

Os pescadores do Norte de Portugal vão ao santuário de Nossa Senhora da Agonia para fazer seus pedidos de proteção e para agradecer pelas graças recebidas. Entre as cerimonias realizadas em louvor à Santa, pode-se citar uma procissão de barcos, organizada pelos pescadores. Um espetáculo encantador e emocionante.

A procissão marítima foi o que deu início às grandes cerimônias em louvor à Senhora da Agonia. Essa festa ficou tão famosa que pessoas de diversas nações da Europa viajam à Viana do Castelo, não apenas para fazer pedidos à Senhora, mas também como turistas para assistir aos fogos e shows pirotécnicos da festa.

ORAÇÃO A NOSSA SENHORA DA AGONIA
Maria conhece todas as nossas necessidades, mágoas, tristezas, misérias e esperanças. Interessa-se por cada um de seus filhos, roga por cada um com tanto ardor como se não tivera outro.
Ó Maria, Rainha dos Mártires, Senhora da Agonia, vós que permaneceste de pé junto à Cruz de Vosso Divino Filho Jesus e, às suas palavras: Mulher, eis o teu Filho; filho, eis a tua Mãe, tornaste-vos nossa Mãe; acolhei, com bondade, nossa prece filial.
Ó Senhora da Agonia, assim como o discípulo acolheu-Vos em sua casa, também nós queremos abrir-Vos as portas de nossos corações, de nossos lares, consagrando-vos toda a nossa vida passada, presente e futura.
Exercei, pois, Vossa função de Mãe, ensinando-nos a viver, em todos os momentos e vontade de Deus, levando-nos assim a imitar o Vosso sim de Nazaré, que culminou com o sim do Calvário. Vinde, ó Mãe, em socorro de nossas angústias, não permitindo que nos desviemos do caminho do bem, da verdade e do amor. Conduzi nossas vidas ao porto seguro da salvação que é Jesus. Ousando somar nossas agonias às vossas, diante desta dificuldade pedir a graça desejada, recorremos à vossa maternal proteção, com a confiança de que não ficaremos decepcionados em nossas súplicas. Amém. Nossa Senhora, rogai por nós. Amém.

sábado, 28 de maio de 2022

MÊS DE MAIO, MÊS DE MARIA

 UMA NOSSA SENHORA PARA CADA DIA

NOSSA SENHORA DAS VIRTUDES, mais um título atribuído a Maria Mãe Jesus. Vamos conhecer:
HISTÓRIA
Esse título de Nossa Senhora enaltece as virtudes da Mãe de Jesus. como podemos ver nos Evangelhos, Nossa Senhora era uma mulher com muitas virtudes. Podemos ver abaixo alguns exemplos de virtudes de Nossa Senhora.

Humildade profunda: Mesmo sendo a Mãe daquele que salvou a humanidade, Maria se manteve em silêncio e nunca se disse superior por isso. Esta humildade, que consiste na vontade de apenas ser serva de Deus esmaga a cabeça do demônio. Nossa Senhora sempre soube que tudo nela era dom de Deus. Guardava apenas no coração as graças que recebia de Deus. Ela sempre se colocava em último lugar e se sentia alegre ao servir ao próximo. Não sentiu medo de ir ao Calvário, lugar em que ela foi reconhecida como a mãe de um condenado.

Uma mulher de muita fé: Foi por causa da fé de Maria que ela foi chamada de bem-aventurada por Isabel, sua prima: “bem-aventurada és tu que creste!”. Na Paixão de Cristo, os discípulos duvidaram de Jesus inúmeras vezes, mas Nossa Senhora continuou firme na fé. Segundo Santo Alberto, o Grande, “A fé é um dom de Deus e, ao mesmo tempo, uma virtude”. Nossa Senhora viu seu Santo Filho no estábulo de Belém e desde então soube que ele era na verdade o Filho de Deus.

Obediência Cega: O primeiro mandamento de Jesus nos diz para amarmos a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos. Maria, Mãe de Jesus, cumpriu completamente este mandamento. Santo Irineu dizia que Nossa Senhora se tornou, por meio de sua obediência, a raiz da salvação da raça humana.

Oração ininterrupta: Em suas aparições, Nossa Senhora sempre incentivou a oração. Maria glorificou ao Senhor não apenas com palavras, mas com sua alma. Orou em espírito e em verdade quando se encontrou com Isabel, sua prima. A frase “Minha alma glorifica ao Senhor!” é uma das frases mais icônicas de Maria. Ela vivenciou a presença de Deus em seu interior. Ela agradecia e queria retribuir tudo a Deus. Nas Bodas de Caná, além de deixar claro que confiava na oração de pedido, convenceu os discípulos a também acreditarem. No cenáculo os discípulos também recorreram à oração de Nossa Senhora.

Divina Pureza: Esta valiosa virtude abre as portas do céu para o homem, por causa da semelhança alcançada com os anjos e com o próprio Jesus Cristo. O esplendor da Virgindade de Nossa Senhora, fez dela a criatura mais radiante imaginável.

Ardente Caridade: A Virgem Maria sempre amou intensamente a Deus, e por Ele, nunca deixou de amar a humanidade. Seu amor por Deus e pela humanidade transpassou sua alma de uma maneira que não sobrou nenhuma parte em seu ser que não se doou por completo à causa divina. A caridade de Maria chegou ao ponto de ela nos doar seu Divino Filho Jesus.

Paciência Heroica: A Virgem Maria suportou com resiliência e tranquilidade toda dor e sofrimento permitidos por Deus. Durante sua gravidez, no Egito, em Belém, quando perdeu o Menino Jesus no templo, ao ver Jesus na cruz sofrendo as mais profundas dores, e em muitos outros momentos. A tolerância de Maria é surpreendente. Nossa Senhora, a Mãe da Igreja, consegue persistir, esperar em paz o que ainda não conseguiu, confiando e esperando em Deus, sabendo que conseguirá tudo em seu tempo. 

ORAÇÃO A NOSSA SENHORA DAS VIRTUDES.
“Ó Virgem Santíssima, Senhora das Virtudes, tu que fostes e é cheia do Espírito Santo, fonte de todas as virtudes, a vós recorro para pedir que também na minha vida apareçam as virtudes que nos conduzem para o céu. Dai-me a graça de viver e me comportar de maneira digna e virtuosa, para que o Pai seja sempre glorificado através do meu comportamento, amém. Nossa Senhora das Virtudes, rogai por nós.

sexta-feira, 27 de maio de 2022

MÊS DE MAIO, MÊS DE MARIA

UMA NOSSA SENHORA PARA CADA DIA

Vamos conhecer a história da padroeira do Uruguai, e mais um título Atribuído a Maria.

NOSSA SENHORA DOS TRINTA E TRÊS
HISTÓRIA
O nome NOSSA SENHORA DOS TRINTA E TRÊS parece realmente estranho para quem não conhece suas origens. Pensa-se, a princípio, que, talvez tenha alguma relação com a idade de Cristo, mas não tem. A origem d nome e da devoção a Nossa Senhora dos Trinta e Três está ligada, na verdade, à história fantástica do povo uruguaio.

O Uruguai estava em guerra pela sua libertação. E aconteceu que em maio de 1823, antes da última batalha, que seria decisiva para a conquista da liberdade e criação de um novo país, 33 soldados comandados pelo general Juan Lavalleja, provenientes do Brasil, postaram-se em frente ao altar da Virgem de Luján deI Pintado, que fica na cidade uruguaia de Florida, e renovaram um juramento extremo, que acabou denominado de "Liberdade ou Morte".

Após o juramento diante da Virgem, os soldados entraram na batalha final cheios de força renovada. Eles conquistaram as cidades de Colônia, Soriano, Guadalupe, San José e Florida. Após a conquista, instalaram um governo provisório em Flórida, já sabendo que uma nova nação estava sendo fundada. Para selar a vitória e a fundação do novo país, os soldados e todo o povo foram à igreja pedir o auxílio divino, como também o auxílio da Virgem Maria. Ali rezaram e consagraram o Uruguai à Virgem Maria.

Em 25 de agosto de 1825, em Florida, foi reunida a Assembleia Nacional Constituinte da República do Uruguai. Nesta ocasião, declararam oficialmente a Independência do Uruguai. Depois de terminada a redação e lida a ata perante todo o povo, todos, governantes leitos, militares e civis foram até à igreja e se puseram ajoelhados diante da imagem pequenina de Nossa Senhora, colocando o Uruguai debaixo da proteção materna da Virgem Maria. Depois disso, todos, de dentro da igreja e de fora na praça, que estava lotada, cantaram o Te Deum, que é um hino de ação de graças e louvor a Deus. Em seguida, o pároco abençoou o povo e os seus heróis.

A partir desse momento glorioso para a nação uruguaia, o povo passou a chamar a imagem milagrosa da Virgem Maria de “Nossa Senhora dos Trinta e Três”, em homenagem aos 33 soldados que lutaram sob a proteção da Mãe de Deus. Em 1857, o general Manuel Oribe,  segundo chefe dos 33 soldados ofereceu uma coroa preciosa à Virgem dos Trinta e Três, como forma de agradecimento pela vitória. Esta coroa é conservada até hoje no tesouro da catedral de Flórida. 

A imagem de Nossa Senhora dos Trinta e Três.
A imagem de Nossa Senhora dos Trinta e Três tem apenas 36 centímetros de altura e é inspira uma estátua mariana chamada “Assunção de Murillo”. Ela foi esculpida por um índio da região. Após esculpi-la, o índio expôs a imagem para a veneração do povo numa capela que ficava na Serra do Pintado, perto de uma aldeia dirigida pelos jesuítas.  Mais tarde, a imagem foi trasladada solenemente para a catedral de Flórida. Aos pés da imagem há uma inscrição que diz: "Diante desta imagem de Nossa Senhora de Luján del Pintado, os trinta e três inclinaram sua bandeira tricolor; a Ela também invocaram os Convencionais da Independência. Nossa Senhora dos Trinta e Três relembra os 33 homens que, sob a proteção de Nossa Senhora, empreenderam a independência do país em 1825”.
Em 1961, a Conferência Episcopal do Uruguai pediu ao Papa João XXIII que proclamasse Nossa Senhora dos Trinta e Três como Padroeira do Uruguai. O Papa atendeu ao pedido dos bispos uruguaios.

quinta-feira, 26 de maio de 2022

MÊS DE MAIO, MÊS DE MARIA

 UMA NOSSA SENHORA PARA CADA DIA

NOSSA SENHORA DA SALETTE
HISTÓRIA
Nos belos Alpes da França existe uma montanha chamada La Salette, Ela fica na Diocese de Grenoble. Em setembro do ano de 1846, duas crianças pastoreavam ovelhas no alto da montanha: um menino chamado Maximim Giraud, de 11 anos e a adolescente Melanie Calvat, de 15 anos. As duas crianças tinha pouco estudo por causa do difícil e exigente trabalho que faziam.

Em uma tarde enquanto esperavam a hora de voltarem para casa, viram uma forte luz e uma bela Senhora, com belos trajes de camponesa. Era uma “Belle Dame”, como eles definiram. Ela tinha na cabeça um diadema dourado e pisava sobre lindas flores, que desapareceram quando ela foi embora. A Senhora estava chorando e disse: “Vinde meus filhos, não tenhais medo! Estou aqui para contar uma grande novidade. Se meu povo não quiser aceitar, vejo-me forçada a deixar cair o braço de meu Filho. É tão forte e tão pesado que não posso mais segurar. A tanto tempo que sofro por vós”.
E a Virgem continuou num bonito diálogo com os pequenos pastores: 
"E vocês, fazem bem as orações?"
Eles responderam: "Não muito bem", E Maria Continuou.
"Meus filhos, é preciso fazê-las bem, à noite e de manhã. Quando não puderem rezar, recitem ao menos um Pai-Nosso e uma Ave-Maria; mas quando tiverem tempo, é preciso rezar mais". 

As crianças estavam maravilhados com aquela visão. E Nossa Senhora continuou:
“Os que conduzem os carros (de boi), não o fazem sem abusar do nome de meu Filho. Se a colheita se estraga, não é senão por vossa causa. Bem vo-lo mostrei no ano passado com a colheita das batatas e não fizestes caso. Ao contrário, quando encontráveis estragadas, era então que em tom de revolta, pronunciáveis o nome de meu Filho.” As crianças reconheciam que essas coisas realmente tinham acontecido com o povo daquela região.

“Se tiverdes trigo, não o semeeis, pois os animais comerão tudo. O que semeardes e o que vingar, reduzir-se-á a pó quando for malhado. Sobrevirá uma grande fome. Os outros farão penitências pela fome. As nozes estragar-se-ão; as uvas hão de apodrecer. Porém, se vocês se converterem, até as pedras e as rochas se transformarão em montões de trigo e as batatas aparecerão semeadas por sobre a terra”.

Nossa Senhora pediu que no local da aparição fosse construída uma Igreja e que se fundasse uma Congregação, para a qual, ela mesmo ditou os fundamentos e as regras. 

Após alguns momentos, Nossa Senhora foi desaparecendo, a luz diminuindo e ela foi embora. Maximim quis pegar uma das rosas que estavam embaixo dos pés da Virgem, mas elas desapareceram. Os pastores, então, correram para falar com seus pais e seus patrões.

Nos dias que se seguiram, muitas romarias começaram a subir a montanha até o local da aparição, e muitos milagres começaram a acontecer.

O bispo de Grenoble fundou a Congregação dos Missionários para construírem um santuário no lugar das aparições. O santuário tornou-se a Basílica de Nossa Senhora da Salete. Isso aconteceu no ano de 1878, por benção papal. Os Missionários tinham ainda a missão de divulgar a mensagem de Nossa Senhora da Salette, que assim passou a ser chamada, por causa da montanha de La Salette, onde ela apareceu.

O Papa Pio IX aprovou no dia 19 de setembro de 1851 a carta pastoral do Bispo Grenoble, que instituiu o título de Nossa Senhora da Salette.

O tema das aparições da Senhora de La Salette é muito forte e atual. Vale a pena ler a mensagem completa de Nossa Senhora de La salette. Ela falou muito sobre a importância da conversão dos pecadores, de fazer penitência, e que todos devem se livrar dos pecados mortais.

Nossa Senhora citou as regras da nova congregação que queria que fosse fundada, a Ordem da Mãe de Deus, com sacerdotes, religiosos, religiosas e também com leigos. A congregação teria como missão pregar uma grande conversão do Clero daquela época.

SIGNIFICADO E SIMBOLISMO DE NOSSA SENHORA DA SALETE.

Os braços cruzados: Nos traz uma mensagem triste: a de que Ela não pode nos ajudar se nós não procurarmos abandonar a vida de pecado, ou se não reconhecermos que estamos no pecado. Ou seja, quando nos afastamos de Deus e da oração, ficamos vulneráveis ao pecado. E, quando estamos nesta situação, é como se Nossa Senhora estivesse de mãos atadas, sem poder nos ajudar. Ela quer ajudar a todos os seus filhos, mas se estes não reconhecem o erro, ela quase não tem como ajudar.

As correntes nos ombros: As correntes sobre os ombros de Nossa Senhora de La Salette complementam a mensagem de seus braços cruzados. As correntes representam o pecado de seus filhos. Estas correntes impedem que ela os ajude. Por isso, ela pede conversão e oração.

A roupa de camponesa: Significa que a Virgem Maria conhece a vida de seus filhos e se identifica com eles. Sua roupa apresenta um avental bege. Isto significa que ela veio na posição de quem quer ajudar, beneficiar. Porém, de braços cruzados, ela não pode fazer nada. Por isso ela chora, pois não pode ajudar seus filhos que estão no pecado. Os pastorzinhos insistem que a Virgem Maria estava sempre chorando nas aparições, embora não perdesse nunca seu olhar de rainha.

A cruz o martelo e o alicate: Este é o símbolo da grande mensagem da Virgem de La Salette. A cruz tem um martelo do seu lado esquerdo e um alicate do seu lado direito. O martelo simboliza os pecados da humanidade que pregam cravos em Jesus crucificado. O Alicate simboliza a oração e a conversão. Cada vez que um coração se volta para Deus, um cravo é tirado de Jesus crucificado. A humanidade está sempre diante do martelo e do alicate. Chorando, Nossa Senhora de La Salette pede que seus filhos escolham o alicate e aliviem o sofrimento de Jesus.

O diadema sobre a cabeça: Diadema é uma espécie de coroa ornamentada com flores, usadas pelas rainhas. O diadema sobre a cabeça de Nossa Senhora de La Salette simboliza sua realeza. Porém, não só isso. Diadema simboliza também que a pessoa que o usa transmite uma doutrina. Neste sentido, Nossa senhora tem uma doutrina sólida e clara: ela ensina que é preciso buscar a Deus na oração e na conversão. Sem Deus jamais teremos vida plena. E a Virgem quer para nós a vida plena que só Jesus tem para dar.

As duas crianças aos pés: As duas crianças aos pés de Nossa Senhora de La Salette representam os dois videntes da Virgem, Melanie Calvat e Maximim Giraud. Os dois humildes camponeses, quase analfabetos, foram os transmissores de uma mensagem profunda e maravilhosa. Deus aprecia a humildade de coração.

As lágrimas: As lágrimas de Nossa Senhora de La Salette tem significado claro: elas representam a dor da mãe, que, de braços atados, não pode fazer nada por seus filhos que não a escutam e preferem o pecado. Toda mãe sofre com isso e, no caso da Mãe de Deus, não é diferente. Nenhuma mãe quer ver seu filho se perder. 

ORAÇÃO A NOSSA SENHORA DA SALETE.
"Lembrai-vos, Ó Nossa Senhora da Salette, das lágrimas que derramastes por nós, no Calvário. Lembrai-vos também dos cuidados que, sem cessar, tendes por vosso povo, a fim de que, em nome de Cristo, se deixe reconciliar com Deus. E vede se, depois de tanto terdes feito por vossos filhos, podeis agora abandoná-los. Reconfortados por vossa ternura, ó Mãe, eis-nos aqui, suplicantes, apesar de nossa infidelidade e ingratidão. Não rejeiteis nossa oração, ó Virgem Reconciliadora, mas volvei nosso coração para vosso, Filho. Alcançai-nos a graça de amar Jesus acima de tudo, e de vos consolar por uma vida de doação, para a glória de Deus e o amor de nossos irmãos. Amém. Nossa Senhora da Salette, Reconciliadora dos pecadores, Rogai sem cessar por nós que recorremos a vós!"

quarta-feira, 25 de maio de 2022

MÊS DE MAIO, MÊS DE MARIA

UMA NOSSA SENHORA PARA CADA DIA.

Vamos conhecer mais um título atribuído a Maria Mãe de Jesus. Hoje vamos ver a história e significado da MÃE RAINHA TRÊS VEZES ADMIRÁVEL, 
HISTÓRIA
Mãe Peregrina ou Mãe Rainha é um título de Nossa Senhora originária da Alemanha. Ela é a padroeira do Movimento Apostólico Internacional de Shöenstatt, fundado pelo Padre Joseph Kenternich. O título 'Peregrina' vem do fato de esta imagem de Nossa Senhora ir 'peregrinando' de casa em casa, sempre num grupo de trinta casas, cada diem em uma casa.

O início de uma forte devoção
A devoção a Nossa Senhora de Schoenstatt iniciou no dia 18 de outubro de 1914, quando o padre José Kentenich, ao ministrar uma palestra para os alunos do Seminário de Schoenstatt, na Alemanha. Recebendo a inspiração divina, ele convidou os alunos para rezarem a Maria e oferecerem sacrifícios a ela, principalmente pela educação. O pedido era para que a pequena capela da Congregação, na época consagrada a São Miguel, virasse um Santuário de graças, centro de um movimento de renovação que, mais tarde, se espalharia pelo mundo todo. Assim, a capelinha estaria destinada a se transformar em um lugar onde as glórias de Nossa Senhora se manifestariam, principalmente seus feitos como Educadora. O objetivo é a educação de um homem novo e a construção de uma nova sociedade.
Significado do nome
Schoenstatt (que significa Belo Lugar) faz parte da cidade de Vallendar, perto de Coblença, situada na margem do Rio Reno, na Alemanha.

Significado do nome
Na capelinha de São Miguel, que virou um santuário mariano, a imagem de Maria é uma cópia do quadro original que foi pintado pelo pintor italiano Crosio, do século XIX. No ano de 1915, a Virgem foi intitulada como “Mãe Três Vezes Admirável”. Título que, no decorrer da história, foi ampliado para “Mãe, Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável de Schoenstatt”, e no Brasil, conhecida pelo título: “Mãe e Rainha”.

A tradição das capelinhas
Inúmeras réplicas da capelinha de Nossa Senhora Três Vezes Admirável de Schoenstatt percorrem as casas dos fiéis e existem milhares relatos de graças alcançadas por quem a recebe em casa ou peregrina aos santuários de Nossa Senhora de Schoenstatt espalhados pelo mundo. A Mãe e Rainha concede para aqueles que a visitam nos santuários a tríplice graça: a graça da transformação interior, a graça do abrigo espiritual, e a da fecundidade apostólica.

Mãe Rainha no Brasil
A coroação da Peregrina Original se deu no dia 10 de setembro de 1955, quando a Campanha pela coroação no Brasil fazia 5 anos. O Sr. João Luiz Pozzobon, que iniciou a Campanha da Mãe Peregrina de Schoenstatt, junto às crianças da Escola Humberto de Campos, da cidade de Santa Maria, situada no Rio Grande do Sul, foram os responsáveis pela conquista da coroa. Mais tardem, em 2000, todas as imagens peregrinas receberam uma réplica da coroa que a imagem original recebeu em 1939.

SIGNIFICADO E SIMBOLISMO DA MÃE RAINHA

A imagem da Mãe Peregrina:
 A capelinha de Nossa Senhora que foi colocada na 'capelinha de madeira' ou do 'pequeno santuário' foi pintada no Século XIX pelo artista italiano Luigi Crosio e seu título em Latim é "Refugium Peccatorum",, que significa refugio dos pecadores. No ano de 1915 ela foi levada para o Santuário de Schöenstatt, na Alemanha e, de lá, espalhou-se pelo mundo, A imagem é rica em símbolos e significados. Vamos conhece-los.

A capelinha de madeira: A capelinha de madeira da Mãe Rainha tem o formato de uma igreja gótica, que que lembram duas mãos 'quase postas', juntando-se na parte de cima. Este formato nos lembra oração, abrigo, aconchego e, principalmente, 'refúgio'. Refúgio dos Pecadores. O fato de ser feita em madeira e marrom, nos falam da humildade de Nossa Senhora, sempre submissa à vontade de Deus.

A Cruz no Alto da Capelinha: Nos lembra a cruz de Cristo pela qual nós fomos salvos. Como toda capela tem a cruz no alto da torre, a Capelinha da Mãe Peregrina também leva o sinal da nossa salvação no seu topo.

O Triângulo abaixo da cruz: é o símbolo da Santíssima Trindade: Pai, Filho e Espírito Santo. Significa que a Mãe Peregrina é portadora da presença de Deus em todas as casas onde ela entra. Toda cada onde ela entra torna-se um santuário onde o amor, o respeito e a oração devem reinar.

A coroa no alto da capelinha: nos fala de Nossa Senhora: ela é Mãe e Rainha, sua realeza não consiste no poder terreno de reis e rainhas, mas sim em ter sido coroada como Rainha do céu e da terra, quando da sua Assunção ao céu. A coroa está abaixo da Santíssima Trindade, (Triângulo) significado que ela é Rainha por vontade de Deus e submissa a Deus. Maria só faz que Deus que que ela faça.

O véu branco de Maria O véu branco de Maria simboliza sua pureza de coração. A Virgem Maria é uma pessoa pura. Pura quer dizer sem mancha, sem contaminação, sem pecado, se maldade, sem segundas intenções, verdadeira, transparente, honesta. Tudo isso está simbolizado no véu branco de Virgem.

O manto azul O manto azul de Nossa Senhora simboliza que ela está no céu e que sua mensagem é uma mensagem autorizada por Deus e vinda do próprio Deus.

A túnica vermelha: A túnica vermelha de Nossa Senhora, da qual só vemos a manga, lembra-nos o sangue; o sangue do sofrimento que ela viveu na Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo, Este sangue de Jesus é refúgio para os pecadores, é salvação dada gratuitamente pelo amor de Deus.

O olhar de Maria: expressa nesse quadro (imagem) da Mãe Peregrina não passa despercebido. É um olhar de amor, de misericórdia, de acolhimento, de bondade. É um olhar no qual os pecadores podem se refugiar sem receio, pois é um olhar de Mãe, mãe amorosa e misericordiosa.

As mãos de Maria: Com a mão direita ela segura o braço do Menino, apresentando ele ao mundo e a Deus, e com a esquerda ela o abraça junta a ela, mostrando que ela é o refugio e a segurança.

O menino Jesus no colo de Maria: o Menino Jesus no colo da Mãe Peregrina também está numa atitude de acolhimento, de abertura, de amor, de mansidão e bondade. É notável a ternura que existe entre ele e sua mãe. O pano branco sobre o Menino Jesus também nos fala de pureza, de amor, paz e bondade. Sua atitude nos lembra que ele também é Refúgio dos Pecadores. 

ORAÇÃO A MÃE RAINHA
"Mãe, Rainha e Vencedora Três Vezes admirável. Mostra-te Mãe da minha vida. Toma-me nos Teus braços, toda vez que sou frágil. Mostra-te Rainha e faz do meu coração o Teu Trono. Reina em tudo o que eu fizer. Eu te corôo como Rainha dos meus empreendimentos, dos meus sonhos e dos meus esforços. Mostra-te vencedora no meu dia-a-dia, esmagando a cabeça da serpente do mau, nas tentações que me afligem. Vence em mim o egoísmo, a falta de perdão, a impaciência, a falta de fé, de esperança e de amor. Tu és três Vezes Admirável. Eu sou mil vezes miserável. Converte-me Mãe, para a glória de Teu Filho Jesus. Amém. 

terça-feira, 24 de maio de 2022

MÊS DE MAIO, MÊS DE MARIA

 UMA NOSSA SENHORA PARA CADA DIA

Hoje vamos conhecer a história e significados de NOSSA SENHORA AUXILIADORA, a protetora do lar.
HISTÓRIA
MARIA AUXILIADORA ganhou a invocação de Nossa Senhora Auxiliadora ou Auxílio aos Cristãos é uma invocação instituída pelo Papa Pio V no ano de 1571, após a grande vitória dos cristãos sobre o exército muçulmano no estreito de Lepanto, que era a porta de entrada para a Europa. 

Nos anos anteriores os turcos muçulmanos, conhecidos e temidos como o Império Otomano, estavam prestes a invadir a Europa através do Estreito de Lepanto. Ali-Pachá, o grande líder otomano, vinha deixando um rastro de destruição do cristianismo por onde passava: igrejas incendiadas, religiosos assassinados, crianças e mulheres violentadas e cidades inteiras destruídas pelo simples fato de serem cristãs.

A Igreja católica, por sua vez, passava por um momento difícil com o início do protestantismo e divisões dentro da Europa. Esse ambiente tornava a Europa cristã frágil diante do poder do exército otomano. Depois de um grande esforço, o Papa Pio V conseguiu unir novamente a Europa em vista do ideal de defender a vida e a fé do povo. Os defensores da Europa formaram uma esquadra com 208 navios e cerca de 80 mil soldados, liderados por D. João da Áustria. Mas os otomanos tinham 286 navios e mais de 120 mil soldados. Dentre estes, mais de 12 mil eram cristãos escravizados que remavam os navios.

Todos os soldados católicos, sob as ordens de D. João da Áustria, confessaram-se, jejuaram e rezaram o Rosário durante três dias. Depois disso, começou a maior batalha naval de todos os tempos, no dia 7 de outubro de 1571.

Os otomanos começaram vencendo. Após 10 horas de um combate sangrento, os soldados cristãos começaram a temer a derrota, que traria consequências horríveis para a Civilização Cristã. De repente, porém, ficaram surpresos ao verem os otomanos, apavorados, bateram em retirada. Então, a batalha, que parecia perdida, se transformou em vitória. 

Ao final, os otomanos perderam 224 navios, 130 dos quais capturados e mais de 90 afundados ou incendiados. Além disso, quase 9.000 otomanos foram presos e 25.000 pereceram. As perdas católicas foram bem menores: cerca de 8.000 homens e 17 navios. 
Mais tarde alguns otomanos presos confessaram que uma brilhante e majestosa Senhora tinha aparecido no céu fazendo ameaças e causando tanto pavor a eles, que começaram a fugir. Tudo está documentado nas atas de cada navio.

Um pouco mais de tempo e os soldados ficaram sabendo que enquanto acontecia a batalha em Lepanto, os cristãos em Roma, liderados pelo Papa Pio V, não cessavam de rezar o Rosário de Nossa Senhora. Em todas as Igrejas fizeram procissões, jejuns e orações na intenção de proteger e abençoar os soldados cristãos. Souberam também que, no começo da vitória cristã em Lepanto, o Papa Pio V teve uma visão através da qual ficou sabendo da vitória dos soldados de Cristo. A vitória foi confirmada duas semanas depois pelo correio da época.

Em agradecimento à maravilhosa intervenção de Maria, o Papa introduziu a invocação Auxílio dos Cristãos na Ladainha de Nossa Senhora. Daí o título de Nossa Senhora Auxiliadora e também Maria Auxiliadora.

A devoção a Nossa Senhora Auxiliadora, porém, se popularizou ainda mais no ano de 1862, com as aparições de Maria Auxiliadora na cidade de Spoleto para uma criança de cinco anos. Nesse ano, Dom Bosco, tocado pela história das aparições, iniciou em Turim a construção de uma grande Basílica, dedicada a Nossa Senhora Auxiliadora. A partir desse momento, Dom Bosco será o maior devoto e divulgador da devoção a Nossa Senhora Auxiliadora.

Para eternizar seu amor e gratidão para com Nossa Senhora, Dom Bosco, juntamente com Santa Maria Domingas Mazzarello, fundou a Congregação das Filhas de Maria Auxiliadora.

Ele dizia: Nossa Senhora deseja que a veneremos com o título de Auxiliadora: vivemos em tempos difíceis e necessitamos que a Santíssima Virgem nos ajude a conservar e defender a fé cristã.

A partir de então, a devoção a Nossa Senhora Auxiliadora cresceu. O Papa Pio IX fundou uma Arquiconfraria em devoção a ela no Santuário de Turim, em 5 de abril de 1870. O Papa enriqueceu esta confraria de muitas indulgências e favores espirituais. No dia 17 de maio de 1903, por decreto do Papa Leão XIII, foi solenemente coroada a imagem de Maria Auxiliadora, que se venera no Santuário de Turim.

Por tudo isso, a devoção a Nossa Senhora Auxiliadora torna-se uma grande bênção para todos aqueles que a procuram, principalmente nos momentos mais difíceis, nas batalhas da vida, nas guerras, na luta contra o mal e nos momentos de angústia. A oração do Rosário acompanhada da invocação a Nossa Senhora Auxiliadora tem feito maravilhas na vida de muitos cristãos ao longo de séculos e continuará fazendo a todos aqueles que a invocarem com fé, esperança e amor.

Pelas graças alcançadas, Maria Auxiliadora passou ser chamada também de A Protetora do Lar. Milhares de pessoas testemunham graças alcançadas através da sua intercessão, protegendo as casas contra tragédias, catástrofes, guerras e ajudando nos problemas de família, nas dificuldades domésticas, nas batalhas da vida.

SIGNIFICADO E SIMBOLISMO DE MARIA AUXILIADORA
A coroa: Simboliza sua realeza. Ela é Rainha por vontade de Deus. Além disso, ela é mãe. Por isso, ela tem poder para defender seus filhos daquilo que possa vir a destruir o maior bem que é possível receber: a salvação de Nosso Senhor Jesus Cristo.

O manto azul: Simboliza sua origem celestial. Simboliza também a verdade. Muitos dos muçulmanos que viram a Senhora sobre os navios se converteram, percebendo que a fé cristã é verdadeira e provém do céu.

A Túnica vermelha: Simboliza o sangue de Cristo, como sua paixão e morte. E é pelo merecimento do sangue de Jesus que Maria tem o poder da intercessão e do auxílio aos cristãos. O sangue de Cristo não foi derramado em vão e defenderá os cristãos até o fim.

O cetro na mão direita: É símbolo do poder real. Estando na mão direita significa que este "poder de intercessão" da Mãe, está sendo usado em nosso favor, como o foi no dia da batalha de Lepanto. A cruz na extremidade superior do cetro significa que o poder de Maria não provém dela, mas sim da cruz de Nossa Senhor Jesus Cristo. Confiemos no poder de intercessão nossa Mãe, Rainha e Auxiliadora.

A cora do Menino Jesus: Simboliza a luz e a divindade. Sendo Deus, este "Menino" é fonte de luz. É ele quem vem nos trazer a lua da verdade e do Deus verdadeiro.

O manto vermelho do Menino Jesus: É anuncio de sua Paixão, que se repete todos os dias do sacrifício da Santa Missa. O vermelho simboliza o sangue e o sofrimento de Jesus Cristo, que salvarão a humanidade.  

ORAÇÃO A NOSSA SENHORA AUXILIADORA
"Santíssima Virgem Maria, a quem Deus constituiu Auxiliadora dos Cristãos. Nós vos escolhemos como Senhora e Protetora desta casa. Dignai-vos mostrar aqui Vosso auxílio poderoso. Preservai esta casa de todo perigo: do incêndio, da inundação, do raio, das tempestades, dos ladrões, dos malfeitores, da guerra e de todas as outras calamidades que conheceis. Abençoai, protegei, defendei, guardai como coisa vossa as pessoas que vivem nesta casa. Sobretudo concedei-lhes a graça mais importante, a de viverem sempre na amizade de Deus, evitando o pecado. Dai-lhes a fé que tivestes na Palavra de Deus, e o amor que nutristes para com Vosso Filho Jesus e para com todos aqueles pelos quais Ele morreu na cruz. Maria, Auxílio dos Cristãos, rogai por todos que moram nesta casa que Vos foi consagrada.
Amém."

Pesquisar este blog

Páginas