TRADUTOR

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2022

VIDA DOS SANTOS

SÃO MACÁRIO DE ALEXANDRIA
(297-395)

REFLEXÃO
A oração é a respiração da alma. Mas São Macário nos ensina que a mente e o corpo devem ser dominados antes que a alma esteja livre para orar.

Na juventude, Macário abandonou sua barraca de frutas em Alexandria para se unir ao grande Santo Antão. O patriarca, por um milagre alertado sobre a santidade do discípulo, nomeou-o herdeiro de suas virtudes.

A vida de Macário foi um longo conflito consigo mesmo. "Atormento aquele que me atormenta", respondeu ele a alguém que o encontrava curvado, carregando uma cesta de areia em pleno calor da tarde. "Sempre que estou com preguiça e ocioso, sou importunado por desejos de partir em longa viagem". Quando ficava exausto o bastante, voltava à cela. Como o sono às vezes o dominasse, mantinha vigília por vinde dias e vinte noites; ficando a ponto de desmaiar, entrava na cela e dormia quando lhe dava vontade.

Certo dia, matou um pernilongo que o picara; em vingança por tamanha fraqueza, entrou nu em um pântano até que seu corpo ficasse coberto de picadas peçonhentas e só pela voz o pudessem reconhecer. Uma vez, quando estava sedento, recebeu uvas de presente, mas entregou-as intocadas a um eremita que sufocava por causa do calor. Este, por sua vez, as entregou a um terceiro, que as repassou a um quarto; e assim as uvas deram a volta pelo deserto e retornaram a Macário, que agradeceu a Deus pela abstinência dos irmãos.

Macário via demônio acossando os eremitas enquanto eravam: essas terríveis criaturas tocavam nas bocas de uns para fazê-los bocejar; fechavam os olhos de outros e caminhavam sobre eles quando dormiam; apresentavam imagens vãs e sensuais diante de muitos irmãos, e então zombavam daqueles que acabavam cativados. Ninguém conseguia se livrar com eficácia dos demônios, exceto aquele que, com vigilância constante, repeliu-os a todos de uma só vez.

Macário visitou um eremita todos os dias durante quatro meses, mas nunca podia falar com ele, porque se encontrava sempre em oração; então o chamou de "anjo sobre a terra". Após muitos anos como superior, Macário fugiu escondido para a companhia de São Pacômio, de modo a começar novamente como seu noviço. Porém, São Pacômio, instruído por uma visão, mandou que ele retornasse aos irmãos, os quais o amavam como a um pai.

Na velhice, pensando ter domado a natureza, decidiu passar cindo dias sozinho em oração. No terceiro dia, a cela parecia pegar fogo, e Macário, sem poder livrar-se dos pensamentos acerca das necessidades da vida, enfim se retirou. Deus permitira essa desilusão, dizia ele, para que não fosse enganado pelo orgulho. Aos 73 anso, foi levado para o exílio e brutalmente ultrajado pelos hereges arianos. Faleceu em 395.

Sua festa é no dia 2 de janeiro.
                                                                                         (Vida dos Santos, Alban Butler/Biblioteca Católica. p. 4, 5)






Pesquisar este blog

Páginas