TRADUTOR

domingo, 16 de janeiro de 2022

VIDA DOS SANTOS

SANTO HONORATO
16 de janeiro

Santo Honorato era de uma família de cônsules romanos fixada na Gália. Na juventude, renunciou o culto dos ídolos, e conquistou para Cristo seu irmão mais velho. Venâncio. Convencidos da vacuidade das coisas deste mundo, ambos desejaram renunciar a ele e a todos os prazeres, mas um pai amoroso e pagão insistia em impor-lhes obstáculos nesta caminhada. Enfim, levando consigo como diretor espiritual São Caprásio, um santo eremita, velejaram de Marselha na Grécia, com a intenção de vier em segredo em algum deserto. Em seguida, Venâncio faleceu ditosamente em Metona, e Honorato, também enfermo, viu-se obrigado a retornar com seu condutor. 

Primeiro levou uma vida de ermitão nas montanhas perto de Fréjus. No mar junto a essa costa, encontram-se duas pequenas ilhas; na menor, hoje conhecida como ilha de Saint-Honorat, é onde nosso mosteiro de Lerins, por volta do ano 400. Determinou que alguns de seus seguidores vivessem em comunidade; outros, que lhe pareciam mais perfeitos, em celas separadas, como anacoretas. Sua regra se inspirava em grande parte na de São Pacômio. 

Nada pode ser mais amável do que a descrição feita por São Hilário de Arles sobre as sublimes virtudes dessa companhia de santos, especialmente as da caridade, concórdia, humildade, compunção e devoção, que reinavam em seu meio, sob a conduta do nosso santo abade.

Contra a vontade, foi consagrado arcebispo de Arles em 426, e faleceu, exaurido pelas penitências e labores apostólicos, em 429.

REFLEXÃO
A alma não pode verdadeiramente servir a Deus enquanto estiver envolvida com as distrações e prazeres deste mundo. Santo Honorato sabia disso, e escolhia tornar-se um servo de Cristo, seu Senhor. Esteja determinado - não importa sua vocação - a viver absolutamente desligado do mundo, e a dele separar-se o máximo que puder.
(Vida dos Santos, Alban Butler/Biblioteca Católica. p. 26.27)


        

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pesquisar este blog

Páginas